Acompanhantes Submissas, o que fazer e o que não fazer

 

Cada acção deve ter um limite. Isto também se aplica ao comportamento dos clientes quando passam tempo com uma acompanhante submissa. Contrata-se uma acompanhante para passar um bom tempo com um determinado cliente. Certo!

No entanto, ao pagar para ter a companhia de uma acompanhante submissa, obtém-se de certa forma maior autoridade para tratar a acompanhante de uma forma mais dura ou brutal. Isso não implica que um cliente possa fazer o que quiser.

 

Algumas acompanhantes submissas estão dispostas a submeterem-se aos seus clientes em alguns graus realmente elevados de actividades BDSM. No entanto, como ser humano, é necessário exercer contenção. Se não conseguir controlar os limites, poderá ter um impacto prejudicial a curto – médio prazo.

 

Antes de contratar uma acompanhante submissa, deve compreender o que pode e não pode fazer com essa profissional. Além disso, a acompanhante subserviente deve garantir sempre a sua própria segurança.

 

Este curto artigo pode ajudá-lo a compreender os regulamentos gerais de conduta comportamental sobre o que fazer nestas circunstâncias , e as acompanhantes podem aprender ao que podem e ao que não podem ou não se devem sujeitar.

 

 

 

O que pode fazer com uma Submissa:

  • Visite o anúncio relax, website ou blogue para saber mais sobre a acompanhante submissa que deseja contratar. Na página desta, pode ver todos os serviços que ela presta.

 

  • Considere se vai ficar satisfeito com o tipo de serviço que a submissa oferece e lá descreve.

 

  • Todas as suas obsessões estão lá listadas? Reveja e confirme.

 

  • Antes de iniciar o encontro, o cliente deve pagar a taxa. Pode haver lugar a pré- pagamento de sinal, caso haja necessidade de uso de parafernália de brinquedos sexuais ou reserva de masmorra BDSM.

 

  • Informe a acompanhante se você tiver alguma condição médica.

 

  • Use sempre protecção quando tiver relações sexuais.

 

  • Controle-se para que se mantenha dentro da linha limite. Os limites da Submissa foram previamente combinados com ela, inclusive a palavra ou frase código para parar. Não se desvie do combinado.

 

  • Uma acompanhante submissa continuará a ter regras e restrições. Deve seguir todos os regulamentos do acompanhante. Nunca se esqueça deste facto!

 

  • Durante a sessão, siga sempre as instruções da acompanhante. Ela pode ser sua escrava sexual de circunstância, mas lembre-se sempre de que aquilo é apenas role-play ou encenação sexual, não é a realidade.

 

  • Deve parar completamente quando a acompanhante lhe der o sinal. Normalmente as sessões de BDSM ou Bondage empregam frases ou palavras código para o efeito. São as chamadas “Safe Word” e quando qualquer um dos participantes a ouve, deve imediatamente suspender quaisquer actividades.

 

 

 

O que não deve fazer com a Submissa:

  • Não consumir álcool ou usar drogas antes ou durante a sessão de BDSM. Porque tem de manter a sua normalidade. Se usar drogas ou beber, pode perder o controlo ou empurrá-lo ou à submissa para além dos limites estabelecidos.

 

  • Não faça nada de ilegal ou arriscado. Se fizer algo ilegal, as acompanhantes continuam protegidas por lei, e se fizer algo perigoso para a acompanhante, haverá repercussões.

 

  • Não tente persuadir a submissa a fazer algo que ela não queira fazer ou que não tenha sido previamente estabelecido como no limite superior do que ela pode tolerar.

 

  • Use preservativos sempre que se envolver em actividade sexual, penetração anal ou vaginal. Algumas acompanhantes loucas e gananciosas deixarão os cliente fazerem sexo sem preservativos se eles estiverem dispostos a pagar uma taxa de serviço mais elevada. Elas nao fazem simplesmente ideia de que esse lucro a curto prazo, traduzir-se-á em muitas doenças a medio-longo prazo.

 

  • Nunca na sua vida obrigue a acompanhante, ou qualquer outra mulher, a fazer nada que ela não queira.

 

 

Conclusão:

Cada acompanhante tem limitações, e é da sua responsabilidade como cliente respeitar essas limitações.

 

É fundamental lembrar que as submissas não estão na actividade de acompanhantes para serem sacos de boxe.  A ligeira escravidão a que estão dispostas a serem sujeitas, tal como o jogo de papéis de fantasia, amarração e provocação, espancamentos e práticas de caning, é tipicamente apreciada por acompanhantes que são submissas.

 

Mas tal não implica que tenha de fazer a acompanhante sentir-se desconfortável; lembre-se, elas acima de tudo também são mulheres e seres humanos, e devem ser tratadas como tal.

 

 

 

Amou este artigo? Partilhe com seus amigos!

Tem artigo para publicar? Escreva para nós aqui