Algumas discussões relativas a acompanhantes e prostitutas têm surgido com relativa frequência nos meios de comunicação social, especialmente sobre a razão pela qual as mulheres e estudantes universitárias estão a optar por uma ocupação que é inaceitável na sociedade actual.

 

Por outras palavras, uma acompanhante é uma pessoa que o acompanhará em situações sociais, enquanto que uma prostituta é uma pessoa que presta serviços sexuais por dinheiro.

 

Com o propósito de ganharem dinheiro, estudantes universitárias e mulheres podem decidir tornar-se acompanhantes, e entre as razões mais comuns encontram-se:

 

  • Arranjarem dinheiro para financiarem a faculdade ou para cobrirem os seus custos de vida.

  • Elas querem tornar-se donas de empresas.

  • Não estão dispostas a contraírem dívidas com a banca e/ou usurários. 
  • O seu cônjuge deixou-as.

  • Para terem sucesso, elas acham que devem ter a liberdade e o tempo necessários para criarem os seus filhos.

  • Elas estão empolgadas para terem mais entusiasmo nas suas vidas, fazerem novos contactos de amizade ou mesmo contactos sexuais.

 

Na grande maioria dos casos, as acompanhantes de luxo têm idades compreendidas entre os 25 e os 35 anos, são bem educadas e de formação média ou superior, e têm em mente um claro percurso profissional. Sabem que o salário mínimo não é suficiente para cobrirem as suas propinas universitárias ou os custos da pós-graduação, e têm receios de virem a ser sobrecarregadas com uma enorme carga financeira.

 

Enquanto a sociedade continuar a tratar estas mulheres com vergonha e continuar a encontrar falhas no seu comportamento,  talvez não esteja a compreender que um serviço de acompanhantes sexuais nem sempre é necessário pela necessidade de contacto sexual, mas sim pelo uso de um serviço emocional como meio de companheirismo com um homem que não tem cônjuge ou namorada.

 

Celebridades, figuras públicas e CEOs podem simplesmente desejar uma mulher deslumbrante ao seu lado, devido à sua necessidade de manter uma determinada imagem exterior numa determinada ocasião. Para evitar que os seus familiares e amigos lhes perguntem se têm um parceiro, por exemplo, algumas mulheres optam por ter um acompanhante masculino sempre que regressam a casa de férias ou vão para festividades.

 

Embora seja invulgar, não é descabido para os homens contratarem acompanhantes de luxo como suas namoradas para reuniões familiares ou profissionais. Um bom marketing pessoal conta muito e em algumas ocasiões profissionais, o facto de ser ter ou não uma companheira, pode significar fechar aquele negócio.

 

Quando as mulheres iniciam as suas actividades como acompanhantes de luxo,  elas costumam ficar encantadas com a ideia de não terem chefes que as instruam sobre o que fazer, ficam agradadas de serem capazes de estabelecer os seus próprios horários e de poderem marcar os seus próprios compromissos, e serem compensadas financeiramente. Para muitas mulheres, isto parecem ser argumentos poderosos para se iniciarem como acompanhantes de luxo.

 

Existem basicamente duas categorias distintas de serviços oferecidos na área da prostituição e companhias de luxo: os serviços que são legais e os que são ilegais. Muitas mulheres que são empurradas para a prostituição acabam lá contra a sua vontade, já as mulheres que se tornam acompanhantes de luxo voluntárias, essas fazem-no de livre e bom agrado. As prostitutas costumam ter uma liberdade de movimentos geralmente muitíssimo restrita, enquanto as acompanhantes têm uma liberdade de movimentos completa e podem abandonar a actividade assim que desejem.

 

Talvez a distinção mais significativa entre as duas actividades, a de prostitutas e a de acompanhantes de luxo, seja que as acompanhantes nunca são coagidas a terem relações sexuais com um cliente ou coagidas a usarem medicamentos que prejudiquem o julgamento dos seus próprios comportamentos.

 

Normalmente as acompanhantes de luxo estão salvaguardadas pela agência que as representa, e a sua segurança e paradeiro durante o dia e noite são constantemente monitorizados por câmaras de vigilância ou seguranças privados. No caso das acompanhantes de luxo que trabalham de forma independente, e que não estão associadas a um grupo de mulheres ou agência que as represente, elas costumam ter ferramentas que as auxiliam no escrutínio dos contactos e clientes.

 

Normalmente estas acompanhantes independentes usam sites de classificados adultos com algumas funcionalidades de segurança, usam smartphones com localizadores GPS, aplicações de denuncia de nrs de clientes e até grupos privados de Whatsapp onde as profissionais de sexo independentes trocam informações entre elas.  É por exemplo o caso da maioria das acompanhantes que trabalham em Portugal, onde por enquanto os bordéis e agências de acompanhantes ainda são ilegais.

 

Depois de lermos com atenção esta peça, pensamos todos ter uma melhor ideia da razão pela qual algumas mulheres escolhem este trabalho intermitente antes de por exemplo seguirem mais tarde uma carreira profissional, iniciarem uma família, ou fundarem um outro negócio próprio. No que diz respeito às vantagens financeiras, bem como às pessoas, lugares e experiências que elas acabam por ter, pode ser muito sedutor para essas mulheres, especialmente se elas forem novas e aventureiras.

 

Muitas mulheres sentem-se hoje em dia poderosas e não se arrependem das suas escolhas em termos de vestuário e de estilos de vida. Sabendo disto, talvez se esteja a abrir uma nova perspectiva sobre a razão pela qual as mulheres hoje em dia escolhem trabalhar como acompanhantes de luxo.

 

 

Author: Guest post by “escortera-ads

Author Profile: https://escortspins.com/user/escortera-ads/

Contact email: vip@escortera.com

Personal Website: https://www.escortera.com